Constatada morte cerebral de Isabella Vieira de Ceres, vítima de acidente no parque - Jornal Populacional
Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020

Constatada morte cerebral de Isabella Vieira de Ceres, vítima de acidente no parque

Publicado em 03/09/2018 às 11:00

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

 

Neste momento a redação do Jornal Populacional recebeu informações de Gabriela Vieira, de que a irmã dela Isabella do Amaral Vieira, de 16 anos, teve morte cerebral. Os familiares ainda estão dentro da sala com os médicos que cuidaram da jovem. A família que muito abalada está agilizando os procedimentos.  

 

Isabella Vieira, e mais três adolescentes, sofreram um acidente no brinquedo do parque que estava instalado na Praça Cívica, na madrugada do último dia 26 de agosto por volta de 1h30 da manhã, elas caíram do brinquedo. Entre as quatro, a de mais gravidade foi a Isabella que foi constatado morte cerebral, diz a irmã dela.

 

Isabella, morava no setor Recanto das Andoarias em Ceres, a irmã dela, Gabriela, disse que Isabella, foi morar em um lugar melhor que o nosso.

 

Investigação

 

Responsável pelo parque, Juarez Alves da Costa já foi ouvido, mas pode ser interrogado novamente após a conclusão dos laudos. A polícia também colheu o depoimento do operador do brinquedo, Raimundo Genivaldo da Lima Costa.

 

O exame toxicológico do funcionário do parque ainda não ficou pronto, mas, durante depoimento, o profissional contou que não faz uso de entorpecentes e não havia ingerido bebida alcóolica no dia. O delegado Matheus Costa Melo disse que o operador relatou ter tentado salvar uma das vítimas.

 

“O operador disse que viu uma das meninas que caiu na plataforma e, quando viu, não lembra de ter desligado o brinquedo. Ele acredita que tenha mantido na posição de giro, o que faz com que o brinquedo pegue velocidade mesmo. A máquina teria diminuído a velocidade se ele freasse ou colocasse no neutro”, explicou.

 

A polícia precisa ouvir as estudantes feridas e novas testemunhas. Ele também deve analisar laudos periciais e a documentação requerida por ele ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), à Prefeitura de Ceres e ao Corpo de Bombeiros.

 

Documentos

 

O Ministério Público está analisando se a documentação apresentada pelo responsável pelo parque está dentro da normalidade. Segundo o promotor de Justiça Marcos Rios, os laudos assinados por um engenheiro mecânico foram emitidos dias antes dos brinquedos estarem montados.

 

“Os brinquedos foram montados no dia 22 de agosto. No entanto, as vistorias foram feitas no dia 17, ou seja, quando os brinquedos estavam ainda nos caminhões. Então estamos apurando para saber a legalidade das licenças apresentadas pela administração do parque à Prefeitura de Ceres e repassada a nós”, disse o promotor.

 

Gerente do parque, Anderson Amorim disse que as vistorias feitas pelo engenheiro mecânico foram feitas antes dos brinquedos serem montados, para viabilizar a vistoria do Corpo de Bombeiros, e também depois da montagem dos equipamentos.

 

“Os brinquedos são alocados, o engenheiro faz o rascunho e envia para os bombeiros. Os bombeiros fazem a vistoria e emitem outro laudo. A vistoria do engenheiro é mais visual, mas é suficiente para atestar que os brinquedos estão aptos a operar. Ele verifica toda a estrutura mecânica e elétrica”, defendeu.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737