Morre, aos 71 anos, a atriz Elke Maravilha - Jornal Populacional
Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020

Morre, aos 71 anos, a atriz Elke Maravilha

Publicado em 16/08/2016 às 07:36

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

Filha de um russo e de uma alemã, Elke Maravilha chegou ao Brasil em 1951, aos seis anos. Seus pais fugiam da guerra e, por muitos anos, moraram no interior de Minas Gerais. Começou a trabalhar cedo como professora, secretária trilíngue, bibliotecária e bancária.

 

Falava oito idiomas, entre eles russo, alemão, italiano, espanhol, francês, inglês, grego e latim. Elke se casou oito vezes e nunca teve filhos. Em entrevistas, afirmou ter feito três abortos.

 

Aos 24 anos, se tornou modelo de um dos mais importantes estilistas brasileiros, Guilherme Guimarães, e desfilou também para Zuzu Angel – símbolo da luta contra a ditadura nos anos 70.

 

Foi presa e torturada ao se revoltar contra as ações do Regime, como na morte de Stuart Edgart Angel Jones, filho da estilista.

 

 Morte

 

A atriz estava internada desde o dia 20 de junho na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em Laranjeiras.

 

Elke havia sido internada para operar uma úlcera e ficou em coma induzido desde então, segundo informou o irmão da atriz, Frederico.

 

A atriz vinha se apresentando pelo país com o espetáculo "Elke canta e conta" antes de ser internada.

 

Na peça, a atriz contava passagens de sua vida desde a infância na Rússia, a vida como modelo e apresentadora, e pelos casamentos que passou.

 

Elke foi modelo, atriz, tradutora, professora, além de ter vivido a vida intensamente.

 

No Facebook, foi postada a seguinte mensagem pelo seu administrador de página:

 

"Avisamos que nossa Elke já não está por aqui, conosco. Como ela mesma dizia, foi brincar de outra coisa.

 

Que todos os deuses, que ela tanto amava, estejam com ela nessa viagem. 'Eros anikate mahan' (O amor é invencível nas batalhas). Crianças: conviver é o grande barato da vida, aproveitem e convivam".

 

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737