Ronaldo Caiado faz balanço do 1º ano de governo - Jornal Populacional
Sexta-Feira, 14 de Agosto de 2020

Ronaldo Caiado faz balanço do 1º ano de governo

Publicado em 18/12/2019 às 23:09

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

O governador Ronaldo Caiado (DEM) fez um balanço nesta quarta-feira (18) sobre o primeiro ano à frente da administração de Goiás, falou sobre os problemas herdados e a tentativa de equilibrar as contas para conseguir fazer investimentos. Entre os assuntos abordados, o político respondeu sobre o pedido de fim do contrato com a Enel, a venda de parte da Saneago e o corte de incentivos fiscais às indústrias.

 

“Sou um ser humano. Não tenho o poder da multiplicação dos pães. Eu vou ter arrecadação como, se eu estou tendo dificuldade para pagar salário? Não tenho direito a tomar um empréstimo para recuperar as estradas”, disse o governador.

 

Entre as formas de aumentar a arrecadação está a redução de incentivos fiscais a indústrias. Isso já gerou um aumento de R$ 1 bilhão ao caixa do estado em 2019. Caiado descartou a hipótese de que isso pode afastar novas empresas.

 

“Goiás não pode abrir mão de sua arrecadação em detrimento do cidadão, que hoje morre de tuberculose infantil no nordeste goiano, que tem uma situação grave hoje com volta de doença de Chagas, não tem condições de fazer uma hemodiálise. [...] Temos que ter incentivo, mas dosado. O incentivo é para desenvolver regiões mais carentes”, disse.

 

O político explicou que enfrenta dificuldades em cumprir promessas de campanha e em melhorar o desenvolvimento no estado, pois ainda está equilibrando as contas. “Não é com varinha de condão que se resolve uma situação tão dramática quanto essa”, afirmou.

 

Mesmo enumerando as dificuldades, Caiado listou avanços no seu governo, com criação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva em cidades do interior, aumento no número de atendimentos na saúde e melhorias na Segurança Pública. Entre as medidas da área da segurança, ele destaca a desarticulação de 170 organizações criminosas e transferência de chefes de facções para presídios de segurança máxima.

 

Enel

O governador comentou sobre a crise com a Enel, responsável pela distribuição de energia em Goiás. Os deputados aprovaram um relatório de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e estão votando um projeto de lei que propõe a rescisão do contrato da empresa com o governo estadual. Além disso, foi feita uma denúncia contra a companhia junto à Procuradoria Geral República.

 

“Vão dizer que esse é um contrato federal. Então, quer dizer que o governador do estado tem que lavar as mãos e dizer que o problema não é meu, é da Enel? Não. Goiás tem governador do estado. É isso que eles que eles têm que entender”, afirmou.

 

Saneago

 

Caiado também respondeu questões sobre a venda de 49% da Saneago. Ele nega que isso seja um processo de privatização, pois toda a tomada de decisão será feita pela direção formada pelo próprio governo.

 

“Você privatiza quando você transfere o comando, como fizeram com a Celg. A Saneago comanda a Saneago. É nossa. É o governador que indica o presidente e toda diretoria”, disse.

 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737