Nota do DNIT sobre situação das barreiras eletrônicas nos trevos sul e norte de Rialma - Jornal Populacional
Terça-Feira, 15 de Outubro de 2019
  • Nota do DNIT sobre situação das barreiras eletrônicas nos trevos sul e norte de Rialma

    Publicado em 10/07/2019 às 21:59

    CLIQUE PARA AMPLIAR
    PUBLICIDADE

    É importante ressaltar que os tipos de acidentes mais frequentes, extraídos de relatório de acidentes da PRF na rodovia BR-153/GO, entre os km 301,0 e km 304,9, retrata que foram do tipo colisões traseiras, transversais e laterais como tipos predominantes, destacam-se também as saídas de pista, representando 21,9% das ocorrências, fato que têm relação direta com a configuração geométrica existente (rodovia de pista simples, declive acentuado e trevos do tipo rotatória vazada).



    A falta de atenção dos condutores destaca-se como principal causa, presente em 39,13% das ocorrências. Destacam-se ainda como causas frequentes não guardar distância de segurança (10,14%), ultrapassagem indevida (7,25%) e velocidade incompatível (7,25%), ou seja, o excesso de velocidade não é a principal causa dos acidentes. (Grifo nosso).



    Além do mais, os dois acessos à cidade de Rialma foram providos por equipamentos de controle eletrônico de velocidade (radar fixo de 60km/h). Tais equipamentos foram removidos em função do término contratual. Até a presente data não foi possível a reinstalação destes equipamentos devido ao fato de que o processo de licitação e contratação referente ao Novo PNCV ainda não ter sido concluído.



    O trecho Norte da BR-153/GO mostra-se ainda mais complexo e indefinido uma vez que o segmento não está inserido em razão da concessão à Concessionária Galvão Engenharia vigente à época da elaboração do edital do Novo PNCV.



    Esse impasse já foi objeto do questionamento junto às instâncias superiores por meio processo nº. 50612.001212/2018-11, enviado à Diretoria Geral e posteriormente remetido à Coordenação Geral de Operações Rodoviárias - CGPERT para conhecimento e providências.

     

    COMENTÁRIOS

    Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

    (62) 8585-3737