PT quer tornar Luciano Huck inelegível por ‘demonização da política’ no Faustão - Jornal Populacional
Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020

PT quer tornar Luciano Huck inelegível por ‘demonização da política’ no Faustão

Publicado em 10/01/2018 às 20:10

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

Na representação contra a Rede Globo e os apresentadores Fausto Silva e Luciano Huck protocolada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta semana, o Partido dos Trabalhadores alega abuso de poder econômico e dos meios de comunicação, além de pedir que Huck seja considerado inelegível pela suposta infração. No documento, de 11 páginas, o partido argumenta que Luciano Huck teve um espaço em rede nacional para pavimentar sua pré-candidatura à presidência que nenhum outro pré-candidato teve.

 

O PT pede que a Globo e Faustão sejam punidos com o pagamento de multa por abuso de poder econômico e dos meios de comunicação. A legenda quer, ainda, que Luciano Huck, como supostamente foi beneficiário da conduta da emissora, seja declarado inelegível pelo TSE ou tenha um eventual registro de candidatura cassado pelos ministros da Justiça Eleitoral.

 

Segundo a representação, o que se viu no programa exibido no domingo foi “a demonização da atual política, dos políticos que a representam, dos pré-candidatos que ostensivamente já se apresentaram para a sociedade como postulantes ao cargo presidencial”. Além disso, o PT acusa a Globo e o apresentador Faustão a, de forma “subliminar”, exaltarem a pré-candidatura de Huck “como sendo algo de novo capaz de mudar a realidade vigente e trazer a ‘felicidade’ esperada pelo sofrido povo brasileiro”.

 

O partido reclama que a Globo abusa de uma concessão pública de televisão para dar um espaço à Luciano Huck que os demais pré-candidatos à presidência não terão em rede nacional. Segundo o deputado Paulo Pimenta e o senador Lindbergh Farias, que subscrevem a representação, a Globo e Faustão demonstraram uma “tentativa de interferência antecipada na lisura da igualdade da disputa presidencial que se avizinha”.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737