Promotora pede cassação do registro de candidato a prefeito de Rubiataba - Jornal Populacional
Sábado, 30 de Maio de 2020

Promotora pede cassação do registro de candidato a prefeito de Rubiataba

Publicado em 21/09/2016 às 14:22

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

A promotora da 76ª Zona Eleitoral, em Rubiataba, Renata Caroliny Ribeiro e Silva, ofereceu representação eleitoral com pedido liminar contra Jakes Rodrigues de Paula, atual prefeito e candidato à reeleição pela coligação:  O Povo é a Razão: Humildade e Trabalho. (PMDB / PT / PRP/ DEM / PDT / SD) e Alysson Antônio Assad Rezende, secretário municipal de Administração e Finanças. Ela pede a cassação do registro da candidatura por tentativa de compra de votos.

 

Por meio de provas colhidas pelo Ministério Público, averiguou-se que Alysson Assad entrou em contato, viaWhatsApp (aplicativo de celular), com o servidor Wildson Rodrigues de Oliveira, tentando coagi-lo a apoiar a reeleição do prefeito Jakes Rodrigues, oferecendo vantagem pessoal ao servidor, como férias e benefícios financeiros. 

 

De acordo com o site do MP, diante da negativa de apoio político por parte do funcionário, ele recebeu uma comunicação do Decreto nº 317/2016, assinado pelo prefeito, informando que a partir do dia 9 de setembro deveria prestar suas funções junto ao Departamento Municipal de Estrada e Rodagem (DMER), sem nenhuma justificativa sobre a modificação de local de trabalho. Até a data posterior, Wilson era ocupante do cargo de motorista do Samu.

 

De acordo com a promotora, o ato ocorreu menos de um mês antes da realização das eleições municipais, ficando claro que os agentes públicos praticaram conduta vedada prevista no artigo 73, inciso V, da Lei 9.504/1997. O prefeito Jakes Rodrigues foi oficiado no dia 14 de setembro para prestar esclarecimentos ao MP sobre a mudança de lotação do servidor Wildson, mas até a presente data não apresentou nenhuma resposta.

 

Diante dos fatos, a promotora eleitoral requer que seja concedida a tutela de urgência antecipada, a fim de suspender a portaria que determinou o retorno do servidor municipal, Wildson Oliveira, ao DMER. Solicita ainda que seja determinada a imediata notificação dos representados Jakes Rodrigues e Alysson Assad para apresentar defesa no prazo de cinco dias.

 

A promotora também requer a cassação do registro ou do diploma em caso de eventual vitória do candidato nas urnas, se a representação for julgada após as eleições, além da aplicação de duas multas aos investigados Jakes Rodrigues e Alysson Assad, por suspeitas de prática de condutas vedadas. 

 

A reportagem do Jornal Populacional, tentou por telefone várias vezes falar com o candidato a prefeito daquele município, mas as ligações foram para a caixa de mensagens, a redação ligou para três números de telefones sendo dois celulares do candidato,  além do número do telefone da prefeitura.

 

Caso o candidato queira se pronunciar, fica o espaço aberto.

 

(Texto: Laura Weiller / Estagiária da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Supervisão de estágio: Ana Cristina Arruda)

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737