Vereador faz denúncia de loteamento irregular em Ipiranga de Goiás - Jornal Populacional
Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020

Vereador faz denúncia de loteamento irregular em Ipiranga de Goiás

Publicado em 12/10/2015 às 17:59

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

Um vereador João Fernandes da Silva (João Baiano), da cidade de Ipiranga de Goiás fez uma denúncia ao JP, sobre as a falta de estrutura do setor Morada do Sol Nascente daquele município.

 

Segundo o vereador, na época, em novembro e dezembro de 2012, houve uma invasão por parte das famílias sem condições financeiras. O caso foi parar na justiça.

 

Para o vereador João Baiano como é conhecido na cidade, acredita que o loteamento não seja uma vergonha, mas sim um crime que aconteceu em Ipiranga.

 

Ele fala que desde que a pessoa tem a coragem de invadir um loteamento, é porque tem sua necessidade. O vereador disse que o prefeito retirou morador do setor naquela época.

 

O loteamento até então de acordo com o vereador, não possuía água, mas continua sem energia elétrica. João Batista afirma ao JP, que ele e mais dois vereadores, Maria Dalva e José Mauro conseguiram a água com a Saneago para o setor.

 

Sobre a energia que o setor não possui, João Batista comenta que há uma gambiarra na casas que corre perigo ao moradores, e essa é a principal reinvindicação do vereador que é colocar energia no setor.

 

O vereador falou também sobre um lixo que segundo ele é jogado no setor Morada do Sol Nascente pela prefeitura e isso é um desmando. Disse.

 

O morador Osmair José, que morava de aluguel, conseguiu construir uma casa no setor, a casa ainda não foi terminada, mas Osmair para sair do aluguel mudou para residência que não tem energia elétrica.

 

Osmair disse que está esperando colocar luz no setor, e comenta que foi até a prefeitura e conversou com o prefeito, onde o mesmo disse ter um projeto para instalação de energia elétrica. O projeto segundo Osmair ficaria em cerca de 50 mil reais divididos em três partes, sendo uma parte para prefeitura, uma para empresa de energia e outra para os moradores.

 

De acordo com Osmair, o prefeito pediu para ele (Osmair) conversar com os moradores para ver a possibilidade de eles aceitarem a proposta. Caso os moradores aceitem, ficaria quatro parcelas no valor de R$ 67, 00 para cada, assim a energia seria colocada no setor, já que segundo Osmair, a prefeitura não está dando conta de arcar sozinha com o valor.

 

Prefeito Enilton

 

 A reportagem procurou o prefeito Enilton José de Souza que falou a respeito do loteamento. Ele disse que quando assumiu a prefeitura havia cerca de três a quatro dias que o setor teria sido invadido, segundo ele influenciada pela gestão passada.

 

Pelo fato da cidade de Ipiranga ser uma cidade nova, na época após muitas conversas, pediu o pessoal para não agir daquela forma, pois havia interesse de regularizar o loteamento e não houve acordo de forma alguma.

 

Enilton relata que após muitas críticas e muita conversa a respeito da administração atual, o mesmo decidiu entrar na justiça, quando conseguiu a reintegração de posse daquele terreno.

 

Dias depois, o prefeito realizou com a comissão, juntamente com o Ministério Público, uma triagem onde aqueles moradores que haviam feito alguns investimentos foram recolocados no setor.

 

O prefeito afirma que nesta triagem, 100% das famílias que haviam feito o investimento no local continuaram com seus bens, mesmo não encaixando nos critérios básicos de uma pessoa que necessita.

 

 Energia 

 

 

Já está protocolado desde de julho de 2014, junto a companhia para a implantação da rede de energia, há mais de um ano.

 

A companhia de energia, segundo o prefeito tem até um ano para realizar a instalação em um setor denominado social como é caso do Morada do Sol Nascente.

 

Recentemente a empresa CHESP (Companhia Hidroelétrica São Patrício), responsável para instalação da rede de energia, disse o prefeito que esteve no setor, após isso em reunião com executivo e Ministério Público, a CHESP teria argumentado que as casas que foram terminadas e as que estão sendo construídas, descaracterizaram o setor de ser um loteamento social, isso pelo padrão mais elevado de algumas casas.

 

Nesse mesmo dia, segundo Enilton, o MP pediu para que fosse feito um acordo entre a CHESP, prefeitura e beneficiários do setor. A proposta seria a divisão dos custos para a instalação da rede de energia que ficaria 50 mil divididos para três partes. Prefeitura, CHESP e moradores.

 

São 62 lotes, o prefeito explica que com essa divisão, daria em torno quatro parcelas de R$ 67, 00 para cada morador que seria debitado na conta de luz, a partir do momento que o beneficiário instalar a energia ne residência.

 

O prefeito disse que teria conversado com um representante do setor (Osmair José), que pediu para ele conversar com os beneficiários, e ver a possibilidade desta forma de instalar a energia no setor, seria os beneficiários arcar com uma parte, já que a prefeitura não tem condições de implantar a energia arcando com 100% dos custos.

 

O prefeito fala do setor Jardim Progresso que foi aberto já na gestão atual, fala também do projeto que foi enviado para câmara pela quarta vez, desde de 2013, ressaltando de uma verba que seria investido no setor Morada do Sol Nascente.

 

O prefeito relata que desta área comprada do setor Jardim Progresso, cerca de 15 lotes, seriam vendidos e o dinheiro seria investido no setor Morada do Sol Nascente, e que no penúltimo projeto enviado para Câmara de Vereadores, explica que o recurso levantado seria gastos nas seguintes obras: regularização do setor Morada do Sol Nascente, efetivação e infraestrutura, sendo asfalto, energia e água.

 

O prefeito disse que este penúltimo projeto enviado para câmara foi rejeito pelo vereadores, e também o projeto enviado na última quarta-feira dia (7).

 

O prefeito disse ser uma inverdade do vereador João Baiano, já que o mesmo disse a reportagem do JP, que ele e mais dois vereadores, Maria Dalva e José Mauro conseguiram a instalação da água no setor.

 

A reportagem do JP procurou o gerente Regional da Saneago em Ceres, para que o mesmo falasse a respeito da implantação da rede de água, não conseguimos.

 

 

Veja na íntegra a reportagem em vídeo sem cortes

 

 

 

 

 

 

MAIS FOTOS

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737