Quarta-feira, 17 de Agosto

Goiás se consolida na elite do poker nacional

Publicado em 24/01/2020 às 21:03
Em Goiás

 

Um dos melhores Estados do Brasil no poker, Goiás se elevou à elite da modalidade nos últimos anos com excelentes resultados de seus principais competidores e alguns deles que até mesmo disputam torneios em Las Vegas.

 

Além disso, no ano passado o Estado se tornou o grande campeão do maior torneio entre seleções estaduais do país com a vitória no Campeonato Brasileiro de Poker.

 

Com muitos motivos para se orgulhar do momento atual do poker goiano, listamos alguns dos grandes fatos da modalidade no Estado que fazem com que Goiás seja uma das referências das cartas.

 

Goiás já teve um campeão brasileiro

 

Desde 2006 existe o Brazilian Series of Poker (BSOP), série de torneios amplamente reconhecida como o campeonato brasileiro da modalidade. Em 14 temporadas já disputadas, Goiás já teve um campeão e aconteceu em 2015.

 

Na ocasião, João Bauer sagrou-se como grande campeão do ranking geral do BSOP após sete etapas concluídas. Em uma delas, o jogador foi o campeão da etapa principal (Main Event), torneio de maior importância dentro do circuito.

 

No entanto, antes mesmo antes de vencer o título daquele ano no BSOP, João já tinha outras grandes conquistas e momentos positivas em sua coroada carreira.

 

Em 2013, por exemplo, o jogador chegou perto de ser mais um brasileiro a vencer um título no famoso World Series of Poker, maior série de competições do planeta.

 

 

 

Nessa série de torneios, João disputou vários deles e em um específico ficou com a quinta colocação geral — ou seja, chegou à mesa final, composta pelos oito finalistas do torneio. Com o feito, o jogador goiano embolsou a quantia de US$ 120 mil, prêmio que segue sendo o maior de sua carreira.

 

No ano passado, mais uma vez João teve uma excelente temporada e ficou próximo do bicampeonato do BSOP. Após sete etapas disputadas, o título do torneio caiu nas mãos do carioca Marcelo Mesqueu, porém, o goiano passou perto com a quarta colocação geral.

 

Com essa altíssima posição, João terminou a temporada com 2395 pontos, menos de 400 a menos do que o vice-colocado (Luís Henrique Kamei).

 

Um dos grandes momentos da temporada de João aconteceu ainda em março, com uma etapa realizada em São Paulo. Naquele momento, o goiano ficou com a segunda colocação do evento principal e só perdeu a competição para Pedro Outor. Com o feito, João ganhou a quantia de R$ 353 mil.

 

“Tenho na minha carreira 10 anos ou mais de carreira e esses momentos, de chegar perto do título do BSOP, é sempre muito especial. Já fiz muitas mesas finais e sempre sigo me divertindo bastante nessas situações”, disse João em entrevista a um site de poker.

 

No torneio de São Paulo em que João foi o vice-colocado, mais de dois mil jogadores participaram da competição, o que é normal tendo em conta que no BSOP também há competidores recreativos. Qualquer um que conhece as regras básicas do Texas Hold’em pode se aventurar em torneios do tipo, mas só os profissionais que vivem do jogo  conseguem grandes resultados a longo prazo.

 

Título inédito em 2019 no Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes

 

 

A glória individual de João no poker ao longo dos últimos anos também se reflete na coletividade de Goiás na modalidade e um dos pontos que provam isso foi o espetacular título goiano no Campeonato de Poker Brasileiro por Equipes, realizado no ano passado na cidade de São Paulo.

 

Nesse campeonato em si, 20 seleções estaduais estiveram na disputa e os melhores jogadores do Brasil jogaram o torneio curto. Goiás teve de longe a sua melhor atuação da história com o título.

 

Como não poderia ser diferente, João esteve no time campeão e adicionou ainda mais glória no seu repertório de conquistas e momentos ímpares na carreira. Ao lado dele, disputaram Gustavo Luz, João Paulo 'Tiltinha', Sérgio Capps, Kelly Manze e Artur Guerra, enquanto Lidiane Moutinho treinou a equipe.

 

Goiás bateu a seleção do Rio Grande do Sul na grande decisão e teve uma recuperação incrível nos momentos decisivos para bater os gaúchos e trazer a conquista para Goiás.

 

Quem teve a missão de cravar o título nos instantes finais foi Tiltinha, um dos mais experientes da seleção. “Eu já passei por grandes pressões jogando, mas essa foi uma das maiores. O João Bauer até brincou, que sobrou pra quem tinha que sobrar, porque eu gosto de jogar assim. Consegui jogar bem, foi um ótimo heads-up e graças a Deus deu tudo certo”, comunicou o jogador após o feito.

 

Além do título inédito, Goiás cravou seu nome na história do poker brasileiro pelo fato de que foi a primeira vez que uma mulher treinou uma seleção campeã no Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes.

 

Esse torneio é disputado desde 2013 e o feito de Lidiane como treinadora certamente deve abrir mais espaço para as mulheres no meio do poker — que ainda segue sendo dominado pelos homens em termos de número de jogadores por torneio.

 

Para 2020, é bem provável que Goiás forme mais uma vez um time forte e com os principais jogadores goianos para batalhar pelo bicampeonato do torneio. Vale ressaltar que, desde a sua disputa em 2013, nenhuma seleção estadual chegou a vencer o Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes duas vezes.

Comentários


Os comentários não expressam a opinião do Jornal Populacional e são de exclusiva responsabilidade do autor.

Encontre mais notícias relacionadas a: Notícia,

Veja Também