MP a aciona prefeito de Nova Glória, primeira-dama e vereador - Jornal Populacional
Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

MP a aciona prefeito de Nova Glória, primeira-dama e vereador

Publicado em 08/10/2019 às 19:08

CLIQUE PARA AMPLIAR
PUBLICIDADE

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) propôs ação civil de improbidade contra o prefeito de Nova Glória, Carlos Luiz de Oliveira; a primeira-dama e secretária de Assistência Social, Maria Leda Cabral de Oliveira, e o vereador José Francisco Costa Cavalcante, em razão do uso de veículos oficiais para atender interesses particulares. O promotor de Justiça Marcos Alberto Rios sustenta que os três agentes públicos agiram em afronta aos princípios da moralidade, da legalidade e da impessoalidade, que regem a administração pública, bem como geraram danos aos cofres públicos.

 

No processo, uma das partes demandadas é a primeira-dama do município que, na condição de secretária, usou o carro do órgão para visitar a filha em Rialma, ocasião em que, inclusive acabou se envolvendo em um acidente, causando danos ao veículo, avaliado em mais de R$ 2,5 mil. A viagem foi realizada no dia 12 de agosto do ano passado, um domingo. Portanto, fora do horário de trabalho e sem razão que justificasse.

 

Outro réu na ação é o vereador José Francisco, que dirigiu a ambulância do município para transportar uma paciente até Goiânia, sem autorização da Secretaria de Saúde de Nova Glória. “Essa seria uma atribuição do motorista oficial do município, e, assim como a primeira-dama, o acionado também colidiu o veículo”, afirmou o promotor. O acidente aconteceu na madrugada de 15 de setembro do ano passado, próximo à cidade de Uruana.

 

Por fim, responde à ação o prefeito de Nova Glória, Carlos Luiz de Oliveira, que permitiu o uso de veículo e maquinário oficiais para promover obra de particular. A ordem de serviço incluiu o carregamento de cascalho, em 40 viagens, em dois caminhões da prefeitura. 

 

(Cristiani Honório/ Assessoria de Comunicação Social do MP-GO).

COMENTÁRIOS

Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

(62) 8585-3737