Casal é preso por violentar e matar filho de 2 anos em Goiânia, diz polícia - Jornal Populacional
Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017
  • Casal é preso por violentar e matar filho de 2 anos em Goiânia, diz polícia

    Publicado em 19/11/2017 às 22:52

    CLIQUE PARA AMPLIAR
    PUBLICIDADE

    A Polícia Civil anunciou, na noite deste domingo (19), a prisão de Bruna Lucinda Batista Ferreira, de 28 anos, e do marido dela Gedeon Santos Alves dos Santos, de 24 anos. Os dois são suspeitos de assassinarem a pancadas, no último dia três de novembro, no Setor Real Conquista, em Goiânia, o próprio filho Bruno Diogo Dias Ferreira, de apenas dois anos.

     

    Após o crime, o casal levou à criança, já sem vida, ao Cais, onde afirmaram que ele teria passado mal em casa em decorrência de um acidente que teria sofrido na semana anterior. Ao ser preso na semana passada, Gedeon confessou, além do assassinato, que também já teria estuprado o próprio enteado.

     

    O laudo cadavérico realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) comprovou que o garoto havia sido espancado. De acordo com a polícia, praticamente não havia uma parte do corpo da criança que não tivesse algum tipo de lesão, no crânio havia um grande orifício decorrente de pancada, dentes quebrados, lesão no ânus, no pênis e em seus órgãos. Inclusive, de acordo com o laudo, foi constatado que o pâncreas do menino foi partido ao meio em decorrência de tamanha violência, além disso também sofreu estupro.

     

    Durante o seu depoimento, Gedeon relatou detalhes de todo o espancamento, com uma impressionante frieza e afirmou que não foi a primeira vez. Já a mãe do garoto, também extremamente fria, alegou que não sabia que seu companheiro havia tirado a vida de seu filho, porém, de acordo com a polícia, ela sabia de tudo e ainda acobertava o parceiro, chegando ao ponto de convocar uma emissora de televisão um dia após a morte de Bruno para tentar convencer a todos que eles eram inocentes.

     

    De acordo com as investigações, o casal já se preparava para fugir de Goiânia no momento em que foram presos.

     

     

     

    COMENTÁRIOS

    Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

    (62) 8585-3737