Jairo fala sobre impostos abusivos em Ceres e pedido de revisão da Câmara - Jornal Populacional
Terça-Feira, 15 de Outubro de 2019
  • Jairo fala sobre impostos abusivos em Ceres e pedido de revisão da Câmara

    Publicado em 05/03/2016 às 17:57

    CLIQUE PARA AMPLIAR
    PUBLICIDADE

    Jairo da Educação (Vereador e presidente da Câmara de Ceres) falou ao Jornal Populacional sobre a polêmica acerca do alvará de funcionamento na cidade. Em entrevista o vereador relatou que, os farmacêuticos são os principais empresários que estão procurando a câmara, pedindo apoio para que este imposto abaixe o valor, já que para este segmento o aumento do alvará foi exorbitante.

     

    Segundo Jairo, os empresários do referido segmento disseram ter pagado um valor alto em 2015, porém ficou acordado que o valor seria abaixado em 2016, algo que de fato não aconteceu. Jairo mencionou que pediu para que os vereadores da base da prefeita se manifestassem sobre o assunto e estes disseram que iriam procurar a administradora a fim de que fosse feito um acordo, porém um mês depois desta situação a base ainda não conseguiu agendar uma reunião com a prefeita.

     

    O vereador explanou que, foi dito por vereadores da base da atual gestão executiva que a prefeita está empurrando a situação dos impostos e uma reunião com a “barriga”. Segundo o vereador, nesta sexta-feira (04 de março) a prefeita ficou de receber os vereadores, porém cancelou, alegando que iria viajar para Brasília, onde possui compromissos e volta apenas na terça-feira. Jairo mencionou que mesmo na terça-feira (08 de março) a prefeita não deu certezas que de fato irá se reunir para uma discussão.

     

     

    Os alvarás dos farmacêuticos venceram no dia 28 de fevereiro, sendo que muitos destes não pagaram os impostos ainda e estão aguardando um respaldo da administradora da cidade. Segundo o vereador, no ano de 2015 os construtores também procuraram a prefeita para marcar uma reunião, levando 90 dias para que esta fosse realizada e ao fim, o problema não foi solucionado, já que os vereadores criaram uma emenda para abaixar o ISSQN da Construção Civil, aprovada em unanimidade pela câmara, porém a prefeita vetou.

     

    Jairo disse que, esta situação está acontecendo agora com os farmacêuticos e que no ano passado aconteceu com os cabelereiros e barbeiros da cidade, com o agravante que foram cobrados tributos destes de anos atrás que os profissionais nunca foram informados sobre a existência. Nesta sexta-feira (04 de março) foi protocolado pela câmara um requerimento em nome de todos os vereadores, pedindo à prefeita uma revisão juntamente com a coletoria da parte de alvará de funcionamento ou que ela faça um projeto de lei para abaixar o referido imposto.

    COMENTÁRIOS

    Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

    (62) 8585-3737