Policiais se comovem com ladrão, pagam fiança e fazem compras para ele - Jornal Populacional
Domingo, 30 de Abril de 2017
  • Policiais se comovem com ladrão, pagam fiança e fazem compras para ele

    Publicado em 14/05/2015 às 18:53

    CLIQUE PARA AMPLIAR
    PUBLICIDADE

    O eletricista desempregado Mário Ferreira Lima foi preso em flagrante após roubar dois quilos de carne em supermercado em Santa Maria, no Distrito Federal. O dono do estabelecimento acionou a Polícia Militar que levou o homem para o DP local. Os policiais se comoveram com a história do homem, pagaram a fiança dele e ainda fizeram compras para ele.

     

    Segundo informações do jornal Correio Brasiliense, o homem sustenta um filho com o benefício que recebe por mês do programa Bolsa Família, mas como o dinheiro não havia sido depositado na conta, Mário tentou roubar 2kg de carne de um mercado, mas foi pego pelo dono do estabelecimento.



    Durante o depoimento, na 20ª Delegacia de Polícia (Gama Oeste), ele começou a passar mal. Depois de se acalmar, relatou que, há quase um ano, a mulher dele sofreu um acidente e passou oito meses no hospital. Por isso, Mário perdeu o emprego. Quando ela se recuperou, ela foi morar com um filho de outro casamento, porque a família estava sem dinheiro para lhe atribuir os cuidados necessários.

     

    Sobrou para o suspeito a responsabilidade de criar sozinho um filho, de 12 anos, que estuda na parte da tarde e demanda cuidados pela manhã. Enquanto o adolescente está na escola, o pai tenta fazer bicos para sustentar a casa. Mas, segundo relatou, há dois meses ele não consegue nada.


    Diante da situação, o delegado colocou uma fiança estipulada em R$ 270, valor pago por uma agente da Polícia Civil que ficou sensibilizada com a história. Outro agente resolveu dar a ele R$ 30 para que ele pagasse o valor da carne.

     

    No fim do dia, houve uma vaquinha e os policiais fizeram uma compra de mês. Entregaram tudo na casa dele.

     

     

    COMENTÁRIOS

    Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

    (62) 8585-3737