Agressão contra a mulher tem alta incidência em Jaraguá - Jornal Populacional
Terça-Feira, 15 de Outubro de 2019
  • Agressão contra a mulher tem alta incidência em Jaraguá

    Publicado em 07/10/2014 às 23:23

    CLIQUE PARA AMPLIAR
    PUBLICIDADE

    A violência contra a mulher ainda assusta a população do sexo feminino devido a grande incidência que tais crimes vêm ocorrendo no Brasil, e em especial em Jaraguá.

     

    Protegidas pela Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, que entrou em vigor em 7 de agosto de 2006, a lei ganhou este nome em homenagem à Maria da Penha Maia Fernandes, que por vinte anos lutou para ver seu agressor preso.

     

    Na Delegacia de Polícia de Jaraguá, segundo o delegado Webert Leonardo (foto), a maioria das queixas que chegam à delegacia estão relacionadas com a agressão contra a mulher, vítimas que na maioria dos casos são agredidas pelos seus parceiros, situações que se repetem várias vezes, ainda assim, as vítimas continuam morando com o agressor, contra os quais — deram queixa, disse o delegado.

     

     

    O tema ganhou repercussão em jornais e até em um livro, publicado pela escritora Lúcia Freitas, onde a mesma destacou uma matéria do Jaraguá Noticia, quando ocorreu a morte de Denilda, morta de forma violenta pelo companheiro, no Parque da Serra de Jaraguá.

     

     

    “Em agosto de 2009, as pessoas de Jaraguá foram surpreendidas com um crime bárbaro que chocou a cidade. Uma mulher grávida havia sido encontrada morta na serra. O assassino, em seguida identificado, era seu namorado, pai da criança e de outro filho que o casal tivera ao longo do relacionamento (…)”. (Lúcia Freitas).

     

     

    Ainda de acordo com o delegado, as vítimas, quase sempre depois de prestarem queixa, continuam morando com o parceiro, o que demonstram que, tais mulheres, vitimas da violência — preferem viver em um clima desagradável dentro de casa, convivendo com os riscos — do que abrir mão do relacionamento.

     

     

    Mesmo com dezenas de inquéritos que precisam ser concluídos, como os casos mais urgentes, que são os homicídios, o delegado afirma que não pode deixar de instaurar inquérito para apurar agressão contra a mulher, casos que são muito comuns em Jaraguá.

     

    Mulheres vitimas da violência de seus parceiros, também refletem tal situação sob os filhos, já que as crianças acabam absorvendo os impactos negativos na mente, tema que será descrito na próxima matéria, na semana em que se comemora o Dia das Crianças.

     

    Jaraguá Noticia 

    COMENTÁRIOS

    Os comentários aqui postados expressam a opinião de seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Jornal Populacional

    (62) 8585-3737